quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Para os dias sem cor...

Acordo, depois do despertador insistentemente gritar pela terceira vez, coloco o pé esquerdo no chão, depois o direito.
Estou atrasada, meu dia não começa bem.
No chuveiro a água é quente, o banho é rápido.
Não tomo café, não dá tempo, como alguma coisa depois.
Sentada, num ônibus tudo parece igual a ontem, as mesmas pessoas, os mesmos assuntos, as mesmas idéias, inclusive as minhas.
E o dia é assim, sem cor, sem graça, sem vida.
Até que eu me penso em você, sim, em você.
Aí meu dia se colore com as mais variadas cores, nos mais variados tons. Vejo suas fotos e revejo inúmeras vezes, prestando atenção nos mínimos detalhes, eu memorizo cada um deles para poder fechar os olhos e continuar vendo.
Lá está você e eu também, literalmente ou de alguma forma.
O sorriso se faz fácil, relembro (chego a viver!) dos nossos dias, das nossas alegrias, sinto uma saudade danada no peito, que traz uma dorzinha gostosa... gostosa por saber que, mesmo mudando, tudo continua do mesmo jeito.
Eu te fazia rir e suspirar profundamente também. Risos e suspiros secretos, outros escancarados...ainda faço? Faço.
O mundo gira, você aí, eu aqui.
E meu dia se colore com a sua cor.

2 comentários:

Danielle Mística disse...

Meus dias andam assim ultimamente. Pálidos e sem tom!

Beijos querida, Ju!

Daniel disse...

Ai, Ju, que coisa mais gostosa. Frequentemente a gente se pega assim, se sentindo só, e depois fica tudo melhor quando pensamos na pessoa certa. Me pergunto em quem você pensou quando escreveu! =P Beijos queridona. Daniel